Governo de São Paulo lança oficialmente a Câmara Setorial de Fungicultura

Postado em: 01/06/2016 ás 17:59 | Por: Leonardo

O objetivo é discutir políticas públicas voltadas ao setor, demanda apresentada pelos próprios fungicultores à Pasta. (foto: João Luiz)O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, lançou oficialmente, no dia 31 de maio, a Câmara Setorial de Fungicultura, no evento de formalização de convênios com associações e cooperativas pela 6ª chamada pública do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável - Microbacias II – Acesso ao Mercado, no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista. O objetivo é discutir políticas públicas voltadas ao setor, demanda apresentada pelos próprios fungicultores à Pasta.

O secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, comentou sobre a instalação. “Essa importante iniciativa reflete a preocupação do governador em olhar para essa cadeia de forma especial. A Câmara será um espaço onde a Secretaria poderá ouvir a demanda dos produtores e, por meio disso, propor ações que alavanquem o setor”, ressaltou.

De acordo com Alberto Amorim, secretário-executivo das Câmaras Setoriais, a ideia de criar o espaço surgiu em visitas técnicas do secretário às regiões produtoras. “Foi apresentado a nós um relatório detalhado que continha, por exemplo, a quantidade de produtores e famílias envolvidas neste setor”, comentou. Atualmente, são gerados mais de quatro mil empregos diretos na produção de fungos comestíveis, concentradas nas regiões de Mogi das Cruzes e Sorocaba.

Foram nomeados 12 membros efetivos da Câmara. Para o cargo de presidente com mandato de um ano, foi indicado Edison Souza, diretor técnico da Associação Nacional dos Produtores de Cogumelos, para quem, a instalação é um desejo muito antigo da cadeia. “A implantação veio em boa hora. No mundo, a atividade de fungicultura é forte, entretanto, aqui no Brasil, ainda está em processo de desenvolvimento, e o produtor ainda não tem os meios regularizados para uma produtividade correta, diferente de outros países”, falou.

Para ele, a produção de cogumelo é o cultivo mais sustentável que existe, por se tratar de um decompositor. Isso porque este fungo utiliza resíduos de lavoura como adubo e o resíduo do cogumelo é um fertilizante orgânico que pode ser reaproveitado.

Carlos Alberto, revendedor de cogumelos, comemorou a criação da Câmara. “É uma iniciativa muito importante para nós. A partir disso, buscaremos discutir ações que valorizem nosso setor, que gera muitos empregos. O apoio do Governo do Estado é essencial”, ressaltou.

Produtor de embalagens plásticas para sementes de cogumelos, Luiz Arima enalteceu a aproximação do Governo e da Secretaria do setor de fungos. “Com certeza, é um grande passo que é dado para impulsionar essa cadeia, tão importante e tão pouco evidente”, disse.

A primeira reunião de implantação da Câmara de Fungicultura foi realizada no dia 25 de maio, na sede da Secretaria, com a presença de representantes de associações, sindicatos rurais, universidades, produtores e técnicos. O novo grupo se junta às outras 24 câmaras ativas mantidas pela Pasta. Para saber mais sobre as Câmaras Setoriais clique aqui.

Por Leonardo Zamperlin

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: