Perguntas Frequentes


Todas as informações sobre o programa poderão ser obtidas por meio da Assessoria de Relações Institucionais e Parlamentares da Secretaria de Agricultura e Abastecimento nos seguintes canais:

E-mail: parlamentar@agricultura.sp.gov.br

Telefone: 5067-0045 ou 0049

Pça. Ramos de Azevedo, 254 – Centro - Cep: 01037-912 – São Paulo – SP

No site da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), você encontra a relação completa dos 40 Escritórios de Desenvolvimento Rural – EDRs e as Casas de Agricultura em todo o Estado:

https://www.cdrs.sp.gov.br/portal/institucional/enderecosp

Você pode encontrar todas as informações sobre mudas e sementes no site da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), por meio do Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes (DSMM). Para saber mais detalhes, acesse o site:

https://www.cdrs.sp.gov.br/portal/produtos-e-servicos/venda-de-sementes/venda-de-mudas-e-sementes

A Coordenadoria de Assistência Técnica Integral-Cati disponibiliza mudas com garantia de qualidade genética, fisiológica e sanitária. Para saber os endereços e preços, acesse:

https://www.cdrs.sp.gov.br/portal/produtos-e-servicos/venda-de-sementes/venda-de-mudas-e-sementes

O Instituto Agronômico (IAC) tem um departamento de plantas aromáticas e medicinais. Você pode enviar uma foto para os pesquisadores analisarem ou uma amostra da planta.

O e-mail deve ser encaminhado à Dra. Eliane Gomes Fabri - efabri@iac.sp.gov.br A amostra deve ser encaminhada à Avenida Theodureto de Almeida Camargo, 1500, Jardim Nossa Senhora Auxiliadora, CEP: 13075-630, Campinas/SP.

A amostra deve ser encaminhada à Avenida Theodureto de Almeida Camargo, 1500, Jardim Nossa Senhora Auxiliadora, CEP: 13075-630, Campinas/SP.

Aos cuidados da Dra. Eliane Gomes Fabri, do Centro de Horticultura- setor de plantas aromáticas e medicinais.

Para análise da composição química (óleo essencial ou extrato), consultar a Dra. Marcia Ortiz.

Para análise de macro e micronutrientes presentes na planta (análise foliar), consultar o Centro de Solos, laboratório de análises foliares.

A Prefeitura do Município de São Paulo é a responsável pelas feiras livres na cidade. Você pode entrar em contato pelo site da prefeitura, na área de abastecimento:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/abastecimento

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento possui duas modalidades de estágio: Obrigatório e Não Obrigatório.

O estágio obrigatório é feito em parcerias com as universidades e contam créditos para sua formação. Para poder estagiar na SAA, solicitamos que você se informe na sua universidade se há parceria com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento e quais posições estão abertas.

Na modalidade de Estágio Não Obrigatório a contratação é por meio do CIEE. O processo seletivo é realizado por meio de uma prova que direciona você para as oportunidades na pasta. Fique ligado em nossas redes sociais para saber quando teremos o próximo processo seletivo.

A Secretaria de Agricultura possui publicações online que tratam de diversos temas ligados à alimentação, como o aproveitamento integral dos alimentos; valor nutricional da soja e da carne suína; compra, armazenagem, higienização e aproveitamento de frutas, verduras e legumes, entre outros. Este material está disponível para download no site da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro):

http://www.codeagro.sp.gov.br/cesans/publicacoes

Você poderá acessar os dados econômicos da agropecuária paulista no site do Instituto de Economia Agrícola (IEA), órgão da Secretaria:

http://www.iea.agricultura.sp.gov.br/out/index.php

No momento, nós não temos oportunidades de trabalho abertas na pasta. Fique ligado em nossas redes sociais para ter informações sobre oportunidades e concursos públicos.

Devido à pandemia da Covid-19, os eventos presenciais estão suspensos. Acompanhe as redes sociais da Secretaria para saber sobre os eventos online.

Acesse no site do Instituto de Economia Agrícola (IEA) as estatísticas da Produção Paulista:

http://ciagri.iea.sp.gov.br/nia1/subjetiva.aspx?cod_sis=1&idioma=1

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento tem atuado de acordo com as diretrizes do macroprojeto “Cidadania no Campo 2030” Principais projetos:

Caminhos do Agro SP - http://www.caminhosdoagro.sp.gov.br/

Município Agro - https://agricultura.sp.gov.br/programas-e-projetos/cidadania-no-campo-municipio-agro/

Agro SP - http://agrosp.sp.gov.br/

Entre em contato com a Assessoria de Comunicação da Secretaria:

E-mail: saacomunica@sp.gov.br

Telefones: (11) 5067-0069/ (11)99511-2711 (com Fernanda Albino)

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária, sediada em Campinas/SP, atua por meio de 40 unidades regionais espalhadas por todo o território do Estado de São Paulo. Para saber o Escritório de Defesa Agropecuária mais próximo, acesse o link:

http://www.cda.sp.gov.br/www/institucional/index.php?action=estrr

A própria companhia aérea ou terrestre estabelece quais os procedimentos para o transporte de animais domésticos. Solicitamos que entre em contato com a companhia que você irá viajar. A mesma costuma colocar em seu site os procedimentos.

Para procedimentos de importação e exportação de animais, material de multiplicação animal (sêmen, embrião, ovos férteis, ovócitos) e material biológico de origem animal, entre em contato com o Sedesa da Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento da sua unidade federativa.

SFA-SP - Superintendência Federal de Agricultura no Estado de São Paulo
Rua Treze de Maio, 1558 – 8º andar
CEP: 01327-002 – São Paulo - SP
Telefone: (11) 3251-0400
gab-sp@agricultura.gov.br

De acordo com a Coordenadoria de Defesa Agropecuária, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, se sua empresa presta serviços de tratamento fitossanitário em produtos agrícolas, você deverá procurar um escritório regional próximo ao seu município, para se cadastrar junto ao governo do estado.

Segue o link em que poderá localizar o escritório:

http://www.cda.sp.gov.br/www/institucional/index.php?action=estr

Acesse o site da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo: http://www.cda.sp.gov.br/www/legislacoes/

Todo estabelecimento que manipule/industrialize produtos de origem animal deve ser registrado em órgão oficial para seu funcionamento. O Serviço de Inspeção de São Paulo (SISP) é responsável pelo registro de estabelecimentos que comercializem seus produtos no âmbito do Estado de São Paulo.

Os estabelecimentos industriais para serem registrados no SISP devem ser enquadrados de acordo com a Lei Estadual 8.208/1992 regulamentada pelo Decreto Estadual 36.964/1993 e Resolução SAA nº 24/94 que regulamenta as normas técnicas sobre as condições higiênico-sanitárias mínimas necessárias para a aprovação, funcionamento e reaparelhamento dos estabelecimentos de produtos de origem animal.

Atualmente o registro de estabelecimento no SISP é realizado de maneira digital pelo Sistema Informatizado GEDAVE, para informações sobre registros de estabelecimentos o interessado deverá consultar o POP 07 “Instrutivo Processo Administrativo GEDAVE CIPOA.pdf” acessando o seguinte link: https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/www/servicos/?/sisp-registro-de-estabelecimento/&cod=63

Para ter acesso às legislações pertinentes ao SISP o interessado deverá acessar: https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/www/servicos/?/sisp-legislacoes/&cod=45

Você poderá consultar todas as informações nos manuais sobre o GTA acessando o link da Coordenadoria de Defesa Agropecuária:

https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/www/sistemas/gedave/

Solicitamos que acesse o link abaixo, da Coordenadoria de Defesa Agropecuária referente à Permissão de Trânsito Vegetal (PTV).

http://www.cda.sp.gov.br/www/servicos/index.php?action=view&cod=43

Você pode acessar a página do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista – FEAP e adquirir todas as informações sobre financiamento e crédito agrícola realizados pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo:

https://www.agricultura.sp.gov.br/produtos-e-servicos/credito-rural/

A febre aftosa é uma enfermidade causada por vírus da família Picornaviridae, gênero Aphthovírus, havendo pelo menos seis tipos deles, classificados como A, O, C, SAT-1, SAT-2 e SAT-3, sendo os três últimos isolados na África e os demais com ampla disseminação. Apesar de ser sensível ao calor e à luz, o vírus pode ser disseminado por água e alimentos contaminados, além de secreções de animais doentes, e a imunidade contra um deles não protege contra os outros.

Além disso, constataram-se alguns subtipos dos vírus citados, com a particularidade de que uns causam ataques mais graves que outros e alguns se propagam mais facilmente. Esta complexidade apresenta um aspecto muito desfavorável, pois um animal atacado por um tipo de vírus, embora ofereça resistência ao mesmo, é ainda suscetível aos outros tipos e subtipos.

Infecção - A febre aftosa é uma doença extremamente infecciosa. Seu período de incubação varia de dezoito horas e três semanas. O vírus se isola em grandes concentrações no líquido das vesículas que se formam na mucosa da língua e nos tecidos moles em torno dos cascos. O sangue também contém grandes quantidades de vírus durante as fases iniciais da enfermidade, período em que o animal é muito contagioso.

Quando as vesículas arrebentam, o vírus passa à saliva e com a baba são infectados os alojamentos, os pastos e as estradas por onde passa o animal doente. O vírus pode resistir durante meses em carcaças congeladas, principalmente na medula óssea, assim como por muito tempo na pastagem e na forragem ensilada. Persiste por tempo prolongado na farinha de ossos, nos couros e nos fardos de feno. Pessoas que cuidam dos animais doentes podem transportar o vírus em suas mãos, na roupa ou nos calçados.

Sintomas - A elevação da temperatura e a diminuição do apetite são os primeiros indícios da infecção. O vírus ataca boca, língua, estômago, intestinos, pele em torno dos cascos e na coroa. No início, o animal apresenta febre e surgem pápulas que se transformam em pústulas, que ao evoluir para vesículas, se rompem liberando líquido, formando aftas na língua, lábios, gengivas e entre os cascos; o animal baba muito e tem dificuldade de se alimentar. Devido às lesões entre os cascos, o animal tem dificuldade de se locomover. Mesmo quando a febre desaparece, a produção de leite cai, bem como a mastite com todas as suas graves consequências. Nos ovinos e caprinos, as lesões das patas são características, enquanto que as da boca podem ser pequenas e passarem desapercebidas. Os surtos de Febre Aftosa surgem repentinamente e com muita frequência; todos os animais suscetíveis do rebanho apresentam os sintomas praticamente ao mesmo tempo.

A intensidade da doença é muito variável. Na forma leve, as perdas podem alcançar uns 3%, enquanto que nas graves alcançam 30 a 50%. A mortalidade é baixa nos animais adultos, e elevada nos jovens.

O agricultor deve procurar a Casa da Agricultura do seu município, que orienta na organização do pedido, dando entrada na agência local ou mais próxima do Banco Nossa Caixa S.A. O pleito deverá se enquadrar dentro dos projetos em vigor.

Para saber qual a Casa de Agricultura, acesse o link: https://www.cdrs.sp.gov.br/portal/institucional/enderecos

Solicitamos que entre em contato com o Instituto de Pesca, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Abaixo, segue o contato:

Instituto de Pesca

Atendimento aos usuários

E-mail: cecomip@pesca.sp.org.br

Site: www.pesca.sp.gov.br

Você pode localizar informações sobre legislação pesqueira no site do Instituto de Pesca: https://www.pesca.sp.gov.br/duvidas-frequentes#faqnoanchor

Disponibilizamos vários serviços e produtos por meio do Instituto de Pesca. Acesse o link e veja se algum se enquadra para suprir as suas necessidades:

https://www.pesca.sp.gov.br/produtos-e-servicos

Devido à pandemia da COVID-19, o Museu do Instituto de Pesca está fechado, sem previsão de reabertura.

De qualquer modo, pode ser feita uma visita virtual e obter todas as informações sobre o espaço clicando aqui.

Você pode encontrar informações sobre exportação no site do Instituto de Pesca:

Você pode encontrar informações sobre exportação no site do Instituto de Pesca: https://www.pesca.sp.gov.br/duvidas-frequentes#faqnoanchor