Boletim do Instituto de Pesca publica estudos sobre Aquicultura Multitrófica Integrada e Bioflocos

Postado Em: 04/01/2024 - 18:08 | Autor: Assessoria de Comunicação

O Boletim do Instituto de Pesca (BIP), revista científica do Instituto de Pesca (IP-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, é uma das publicações brasileiras mais tradicionais nas áreas de Aquicultura e Pesca. Estando entre as 10 principais publicações do mundo sobre o tema bioflocos (BFT), com base no número de publicações, citações e índice h, segundo a avaliação da Aquaculture International, publicação da editora Springer, a revista científica vem ganhando destaque e publicando artigos de excelência e relevância.

Recentemente, foram publicados no BIP artigos com temáticas relacionadas à sustentabilidade por autores consagrados no cenário científico brasileiro e mundial, como a Aquicultura Multitrófica Integrada (IMTA) e a produção em Bioflocos, que abordam novas maneiras de produção de organismos aquáticos com base na economia circular e ciclagem de nutrientes.

É o caso do artigo Zooplankton community dynamics in response to water trophic state in integrated multitrophic aquaculture, em que os autores explicam que a Aquicultura Multitrófica Integrada é um meio alternativo para otimizar o uso de alimentos na aquicultura, que combina espécies de diferentes níveis tróficos. Ou seja, trata-se de um sistema em que se reciclam os resíduos do cultivo de uma espécie transformando-os em fertilizantes ou alimentos para outras espécies. O estudo avaliou a dinâmica e a estrutura da comunidade zooplanctônica em IMTA de tilápia com camarão, em viveiros escavados com diferentes substratos.

Integrated Multitrophic Aquaculture in ponds using substrate for periphyton as natural source of food foi mais uma publicação na revista, que demonstrou aumento da produtividade e economia de ração com a utilização de perifíton (organismos vivos, ou seus detritos, que colonizam superfícies sólidas em habitats aquáticos) como alimento complementar em uma Aquicultura Multitrófica Integrada, com espécies de peixes em viveiros escavados.

Outros três excelentes trabalhos foram publicados no BIP, sobre pesquisas relacionadas ao sistema de bioflocos, no qual pequenas partículas orgânicas são compostas por diferentes micro-organismos que ajudam a manter a qualidade da água. Além disso, o sistema é sustentável por utilizar reduzida taxa de renovação hídrica.

No artigo Sea lettuce (Ulva ohnoi) cultivation in biofloc technology: growth performance and characterization of bioactive compounds é apresentada a avaliação do cultivo com tecnologia de bioflocos de Ulva ohnoi (espécie de alga verde-clara da família Ulvaceae) quanto ao seu desempenho de crescimento e teor de biocompostos. Como conclusão, maiores teores de proteína e ulvana foram observados após a espécie ser cultivada em bioflocos.

Já o artigo Comparison between biofloc technology system and aquamimicry in the cultivation of Litopenaeus vannamei in lined ponds in Southern Brazil relata como foi realizado um experimento comparando a produção de camarões marinhos em bioflocos e aquamimicry (sistema intermediário entre o convencional e BFT). O estudo concluiu que os camarões criados nestes dois diferentes sistemas apresentaram desempenho zootécnico semelhante e os autores sugerem novos testes em maiores densidades de estocagem.

Os autores do artigo Different protein levels in a super-intensive culture of juvenile Pacific white shrimp (Litopenaeus vannamei) in biofloc systems during the early rearing phase revelam os resultados encontrados na pesquisa voltada à determinação dos níveis de proteína bruta (PB) em dietas de organismos aquáticos, que permite maximizar o crescimento, diminuir os custos com alimentação e melhorar a qualidade da água. No experimento foi realizado um cultivo de Litopenaeus vannamei em sistema superintensivo de bioflocos, utilizando cinco dietas com diferentes níveis de proteína bruta. Os melhores resultados foram alcançados com 38% de PB.

Segundo a pesquisadora do IP e editora-chefe do Boletim, Fabiana Garcia, “estas publicações demonstram que, ao longo de seus 52 anos de trajetória, o Boletim do Instituto de Pesca se posiciona no meio científico como um periódico visionário, acompanhando a evolução e as tendências mundiais da aquicultura e pesca”.

O BIP

O Boletim do Instituto de Pesca (BIP) é uma revista brasileira tradicional, que vem mantendo seu papel social de publicar artigos de qualidade, open access (acesso aberto) a um custo reduzido.

Com 52 anos de existência e um acervo totalmente digitalizado com mais de 1450 artigos, o BIP merece destaque por possuir acesso livre e gratuito, estar indexado nas principais bases de dados mundiais, publicar artigos em inglês e estar diretamente relacionada às áreas de ciência animal, pesca, ciências ambientais e alimentar.

O periódico tem buscado maneiras de implementar critérios de DEIA (Diversidade, Equidade, Inclusão e Acessibilidade) oferecendo, por exemplo, oportunidade de publicação de temas sociais relevantes relacionados a grupos em vulnerabilidade social como pescadores artesanais e populações ribeirinhas.

A equipe editorial convida os leitores a acessarem os artigos do BIP e os autores a publicarem seus artigos nesta tradicional revista brasileira das áreas de Aquicultura e Pesca.

Instituto de Pesca

O Instituto de Pesca é uma instituição de pesquisa científica e tecnológica, vinculada à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que tem a missão de promover soluções científicas, tecnológicas e inovadora para o desenvolvimento sustentável da cadeia de valor da Pesca e da Aquicultura.

Por: Andressa Claudino

Imagem: Fabiana Garcia Scaloppi

Informações à imprensa

Instituto de Pesca 

Núcleo de Comunicação Científica 

Gabriela Souza /Andressa Claudino

Cel.: (11) 94147-8525

ipcomunica@sp.gov.br 

www.pesca.sp.gov.br