Concurso Estadual do Café deve premiar os melhores cafeicultores de São Paulo

Postado Em: 30/05/2022 - 14:58 | Autor: Assessoria de Comunicação

O Estado de São Paulo, através da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), deve retomar o protagonismo na execução do Concurso Estadual de Café. Aberto à participação de qualquer cafeicultor do estado, o certame deverá premiar os 10 melhores.

O concurso foi anunciado pelo secretário de Agricultura e Abastecimento, Francisco Matturro, no evento Sabor da Colheita, realizado no último dia 21 de maio. O Sabor da Colheita abriu as portas da sede do Instituto Biológico, onde está o maior cafezal urbano do mundo, na capital paulista, para que a população, no dia de evento, experimentasse a sensação de colher o fruto diretamente do pé.

Alexandre Grassi, coordenador da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), explica que o objetivo desta iniciativa, além de promover uma premiação oficial para os cafeicultores, é dar ainda mais visibilidade ao café produzido no estado.

"Queremos valorizar o trabalho do cafeicultor do Estado de São Paulo na obtenção de cafés de qualidade. A história do café, no Brasil, passa por São Paulo. Por muitas décadas, a cafeicultura paulista impulsionou a economia do país. O brasão do Estado, inclusive, exibe dois ramos de cafeeiro. Temos tradição na cafeicultura. O café paulista é de excelência! Nosso concurso chega para ressaltar a participação do Estado no estímulo à adoção das Boas Práticas de cafeicultura, independentemente do tamanho da propriedade. E sabemos que o investimento em qualidade dá retorno positivo ao produtor”, diz Grassi.

O edital, em elaboração, deve prever a entrega das amostras nas Regionais da CATI. A apreciação será feita às cegas, por banca de provadores escolhidos por chamada pública, com auxílio do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital). O ranking de pontuação definirá os vencedores.

“As particularidades regionais continuam nos concursos regionais, mas teremos um certame que englobará todos os produtores, de forma indistinta”, explica o coordenador da CATI.