Pesquisador do IP-APTA foi agraciado com o terceiro lugar no ‘Prêmio Inovação Aquícola’

Postado Em: 27/05/2022 - 16:17 | Autor: Assessoria de Comunicação

O pesquisador do IP-APTA da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, Fábio Rosa Sussel, ficou em terceiro lugar, no 2º Prêmio “Inovação Aquícola da Aquishow Brasil”. Ele participou na categoria ‘Beneficiamento e Produto Final’ com sua pesquisa ‘Evisceradores de lambari”.

O troféu foi entregue ontem (26/05) no encerramento da Aquishow Brasil, numa grande festa de confraternização com mais de mil pessoas no Recinto de Exposição Alberto Bertelli Lucatto.

 “Foi um trabalho completo de desenvolvimento de uma tecnologia que atende às necessidades do setor produtivo”, explicou Sussel.

“A pesquisa levou dois anos para chegar no produto final", contou ele. De acordo com Sussel, a ideia da evisceradora (equipamento que retira vísceras) de pequenos peixes, é uma delas, e surgiu no estande do futuro fabricante na edição da Aquishow de 2017.

Sussel havia vencido o prêmio em 2019 na modalidade ‘Academia’ com um estudo sobre densidade de estocagem e a viabilidade econômica.

Contemplados


 

Ao todo foram entregues 12 troféus no evento.  Este ano se inscreveram 76 trabalhos e os três primeiros classificados de cada uma das quatro categorias (academia, produção, beneficiamento e produto final, e políticas institucionais) foram contemplados.

Os ‘cases' passaram por uma rigorosa avaliação de um grupo de notáveis composto por 24 especialistas entre professores, pesquisadores, empresários e profissionais do mercado de aquicultura.

A comissão julgadora indicou três finalistas de cada uma das quatro categorias. A seguir os escolhidos seguiram para uma segunda fase e passaram por uma ampla votação popular por meio do site oficial do prêmio. No total foram computados 2.217 votos. O regulamento teve como base o Manual de Oslo de Inovação, que no Brasil é publicado pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos).

“Esta honraria é como o ‘Oscar’ da Aquicultura. Ela reúne os principais projetos em inovação do setor, sejam eles acadêmicos ou comerciais”, explicou Marilsa Fernandes, organizadora e presidente-executiva da PeixeSP.

Segundo a idealizadora do projeto, o objetivo do voto popular foi estimular o engajamento do público ligado ao setor. Alguns participantes fizeram verdadeiras campanhas para envolver apoiadores, mas a escolha só era registrada uma única vez pelo respectivo IP (número identificador do computador).

Depois da cerimônia de premiação, na festa de confraternização, foram servidos aos convidados iguarias, todas à base de peixes da região.

Por Paulo Sérgio Pires

Fotos: Gilberto Marques

Os resultados da premiação:

Academia

Na categoria ‘Academia’, o primeiro lugar ficou para o case “Conchas de Ostras como Alternativa Sustentável aos Microplásticos”, de autoria de Ellano Silva, que recebeu 45,87% dos votos.

Em segundo lugar, com 30% dos votos, apareceu “Bem-Estar em Tilápia do Nilo”, de Filipe Chagas Teodózio de Araújo; e, em terceiro lugar, com 24,13% dos votos, “Sorvete à Base de Pescados”, de Ana Maria Silva.

Produção

Na categoria ‘Produção’, o principal destaque ficou para “Gestão Sanitária Através da Informatização de Diagnósticos e Dados Ambientais”, de José Dias Neto, com 38,61% dos votos.

Ainda receberam troféus “Conectividade na Aquicultura: A Evolução do Setor”, de Nilton Massuo Ishikawa (Paraca), com 31,66% dos votos, e “Pirarucu – Reprodução, Engorda e Tamanho do Peixe em Cativeiro com Uso de Alta Tecnologia”, de Leonardo Davi (in memoriam) e Américo Vespúcio, com 29,72% dos votos.

Beneficiamento e Produto Final

Na categoria ‘Beneficiamento e Produto Final’, o campeão, com 40,40% dos votos, foi “Enlatamento de Pescados Cultivados em Águas Interiores”, de Ana Maria Silva.

Logo depois, vieram, respectivamente, “Validação de Entreposto Móvel de Pescado”, de Patrícia Costa Mochiaro Soares Chicrala, com 30,72% dos votos, e “Evisceradores de Lambari”, de Fábio Rosa Sussel, com 28,87% dos votos.

Políticas Institucionais

Na categoria ‘Políticas Institucionais’, o grande vencedor foi “O Novo Sururu da Mundaú”, de Eric George Sawyer, representando a ABRAPES (Associação Brasileira de Fomento ao Pescado), com 51,74% dos votos.

Também foram premiados na sequência “Alternativas Tecnológicas para Viabilizar a Carcinicultura Familiar em Pernambuco”, de Gilvan Pais de Lira Júnior, com 25,44% dos votos; e “Peixaria”, de Maria Inês Möllmann, com 22,82% dos votos.