Reunião extraordinária da Câmara Setorial da Pecuária debate retirada da Vacina de Febre Aftosa por São Paulo

Postado Em: 04/05/2022 - 12:07 | Autor: Assessoria de Comunicação

Na tarde desta terça-feira, de forma presencial e virtual, foi realizada a reunião extraordinária da Câmara Setorial da Pecuária, órgão integrante das câmaras setoriais da Secretaria de Agricultura, câmaras estas, repostas de forma integral nos últimos 11 meses.

Presidiu a reunião o Secretário Francisco Matturro, que, ao lado de outros importantes dirigentes da SAA tratou do tema da retirada da vacinação da febre aftosa para o Estado de São Paulo e o anúncio do Governo Federal divulgado na abertura da ExpoZebu 2022.

A reunião foi motivada por conta da ação do Governo Federal que, no sábado (30), anunciou o fim da imunização dos rebanhos em 7 estados brasileiros após a campanha de novembro deste ano, dentro do plano de alterar o status do País como área livre de aftosa sem vacinação.

Porém, São Paulo e outros três estados que fazem parte do mesmo Bloco IV do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE-Pnefa), ficaram de fora da decisão do Ministério, pelo menos por enquanto. 

O primeiro à falar na reunião extraordinária foi o Coordenador da Defesa Agropecuária, Luís Fernando Bianco, que, em sua apresentação explicou que o Estado de São Paulo obteve nota 2.9 no programa QUALI-SV do MAPA, sendo um dos maiores progressos estaduais entre todos na última avaliação. Lembrando que a nota necessária para o avanço é igual ou superior a 3.1 (para SP).

Houve surpresa do setor produtivo, presente à reunião, ao saber que São Paulo, e mais 3 estados foram separados do bloco, e não estão caminhando junto com os demais integrantes, conforme previsto no plano estratégico para a retirada da vacina.

Apesar dos avanços claros, demonstrados por Bianco, uma nova avaliação foi solicitada ao órgão federal devido ao fato de que os altos investimentos feitos nos últimos meses ainda não foram analisados, pelo Ministério, em sua totalidade.

Além disso, a Faesp e a Sociedade Rural Brasileira (ambas presentes à reunião) já reativaram o Fundepec e estão em fase de acertos finais para iniciar a arrecadação para a contratação de um seguro sanitário, com todo o apoio e parceria do Governo Paulista.

Dentre os investimentos, apresentados por Luís Fernando Bianco, a Defesa Agropecuária destacou;

  • 45 novos veículos;
  • 22 novas vans equipadas para a fiscalização de fronteiras;
  • 94 caminhonetes especiais e equipadas para o serviço da defesa;
  • 250 notebooks, 350 desktops e 466 tablets;
  • implantação e desenvolvimento de um novo sistema de gerenciamento animal e vegetal (GEDAVE 2.0);
  • contratação de 82 novos atendentes;
  • chamada dos aprovados em concurso;
  • 61 médicos veterinários
  • 29 engenheiros agrônomos
  • 10 agentes agropecuários
  • contratação de projeto de reforma para todas as unidades;
  • modernização do laboratório da CDA;
  • aquisição de equipamentos técnicos para trabalhos em campo;
  • execução de reforma de prédios próprios e outros

Investimentos que, juntos, somam cerca de R$ 100 milhões de reais, somente nos últimos 11 meses.

“Agora é uma questão de tempo para consolidar as medidas implantadas e reverter a situação” completou Bianco.

Nesta fase inicial de implantação da retirada da vacinação, qualquer ocorrência nos Estados sem vacinação, poderia rapidamente comprometer SP, visto que do prisma paulista, olhando pelo campo epidemiológico, SP recebe entre 2,5 a 3 milhões de animais todos os anos procedentes de outros estados.

A representante do MAPA, Andréa Moura, assegurou na reunião; “Não há nenhuma diferença de critério, no que foi aplicado à São Paulo, relacionado com os demais Estados. Todos foram tratados de forma equânime. Muitos elementos foram avaliados, mas, lembrem-se, alguns itens da avaliação levaram tempo para São Paulo cumprir. Reconheço que São Paulo nunca avançou tão rápido como agora, nesta gestão, mas há que se ter paciência”, completou.

Já o Secretário de Agricultura, Francisco Matturro, finalizou a reunião dizendo à todos; “Nós, São Paulo, não vamos esperar até outubro! Nós queremos uma reavaliação já, agora, para alterar nosso status” completou.

Lembrando que, segundo informações do MAPA, São Paulo não identifica um só caso de febre aftosa desde 1996, ou seja, 26 anos.

Nesta quarta-feira, o Secretário Francisco Matturro, e os técnicos da Defesa Agropecuária de São Paulo estão em Brasília, para reunião presencial no Ministério da Agricultura com o Ministro Marcos Montes e sua equipe técnica.

Participaram da reunião, além dos já citados; Alberto Amorim, Coordenador das Câmaras Setoriais; Ricardo Lorenzini, Chefe de Gabinete da SAA; Sérgio Tutui, Coordenador da APTA; Ariel Mendes, Assessor de Gabinete; presencialmente. Virtualmente estiveram; Chris Morais, Presidente da Câmara Setorial da Pecuária; Fernando Buchala, da Defesa Agropecuária em São José do Rio Preto; Dra. Erika Mello e Wiliam Alves Correa, CDA; Ricardo Sassi e Beto Zillo, representando a SRB, além de representantes da FAESP, do SINDAM e do Sindicato Rural de Ribeirão Preto.