Secretário de Agricultura e Abastecimento participa do aniversário de 10 anos da Rede ILPF

Postado Em: 24/06/2022 - 08:30 | Autor: Assessoria de Comunicação

Francisco Matturro, secretário de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, participou no Espaço Trio One, nesta quarta-feira (23/06), da celebração dos 10 anos de existência da Rede ILPF. Esta associação tem como finalidade acelerar a adoção entre os produtores rurais de tecnologias de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), visando a intensificação sustentável da agricultura brasileira.

Em sua fala, o secretário afirmou que no início do seu trabalho na Secretaria de Agricultura encontrou todos os dados disponíveis do potencial agrícola do Estado. São Paulo tem 3,5 milhões de hectares de pastagens que podem se transformar em áreas muitos mais rentáveis com a adoção da tecnologia ILPF.

A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) é um sistema de produção em crescimento no Brasil. Ela utiliza diferentes sistemas produtivos, agrícolas, pecuários e florestais numa mesma área. Nas alternativas disponíveis estão o cultivo consorciado, em rotação ou em sucessão, para que todas as atividades sejam beneficiadas conjuntamente.

Segundo o presidente da Associação Rede ILPF, Luiz Lourenço, o grande objetivo dessa organização é aumentar a área no sistema. “Vamos crescer muito porque nosso solo ainda não é bem aproveitado e não temos a produtividade que podemos ter. Há preconceito também, mas nosso grupo tem boa vontade e vai fazer com que tudo melhore”, expôs eles aos convidados.

Já o presidente do Conselho Assessor Externo da Rede ILPF, Paulo Hermann, citou o grande potencial do País para a Integração, Lavoura Pecuária, e Floresta. “ O Brasil terá que produzir 41% a mais até 2027. Vamos fazer isso com a ILPF e aproveitar 35 milhões de hectares de terras inexploradas. Isso será feito com a intensificação da produção e porque só o Brasil tem a Integração Lavoura, Pecuária, e Floresta”, analisou.

Estrutura

No momento, Associação Rede ILPF apoia um conjunto de 16 Unidades de Referência Tecnológica (URT) e 12 Unidades de Referência Tecnológica e de Pesquisa (URTP), distribuídas entre os biomas brasileiros e que envolve a participação de 22 Unidades de Pesquisa da Embrapa.

Integram a rede as empresas Bradesco, Ceptis, Cocamar, John Deere, Soesp, Syngenta, além de apoio da Embrapa. A ideia é continuar seu trabalho de transferência de tecnologia, capacitação de assistência técnica e de comunicação, que já vem sendo desenvolvido e aperfeiçoá-lo ainda mais. A intenção na lavoura é ter uma produção diversificada. O seu lema é: ‘Produzir e preservar é possível”.

Perspectivas da Rede ILPF

Depois de ter sido transformada em associação em 2018, a nova estrutura jurídica pretende ampliar a atuação e facilitar a entrada de novas empresas no grupo. Juntamente com os recursos das empresas participantes, a expectativa é que seja feita também a captação em fundos internacionais. Por isso, as atenções estão dirigidas para ações de internacionalização e aos detalhes para elevar o valor agregado do serviço, por meio da inovação e certificação.

Câmaras

Na celebração de aniversário, houve o lançamento da Câmara de Carbono da ILPF e da Câmara Temática Agrodigital da Rede ILPF. A primeira irá analisar e medir as implicações de gases para o efeito estufa e avaliar as mudanças climáticas. Ela irá intensificar as ações para monitorar e relatar as emissões. A segunda Câmara oferecerá soluções digitais e sustentáveis para os agricultores, além de discutir a questão da capacitação e inclusão digital na Rede, e ainda trazer novas tecnologias integradas ao setor rural.

Por fim no evento ocorreu a entrega do 2º Prêmio de Jornalismo e Fotografia 2022, que contemplou jornalistas, fotógrafos e profissionais da Rede ILPF, com troféus. Nesta edição, o tema foi as ‘Contribuições dos sistemas ILPF para uma produção agropecuária com baixa emissão de carbono’.

Por Paulo Sérgio Pires

Fotos: João Luiz