Produtores rurais têm até o próximo dia 7 para registrar a vacinação contra febre aftosa no Gedave

Postado em: 30/11/2018 ás 9:40 | Por: Paulo Prendes

Os produtores rurais paulistas têm até o dia 7 de dezembro para comunicar a vacinação contra febre aftosa no estado de São Paulo à Coordenadoria de Defesa Agropecuária diretamente no sistema GedaveOs produtores rurais paulistas têm até o dia 7 de dezembro para comunicar a vacinação contra febre aftosa no estado de São Paulo à Coordenadoria de Defesa Agropecuária diretamente no sistema de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave). A segunda etapa da campanha de vacinação em bovídeos (bovinos e bubalinos) com idade de zero a 24 meses encerra-se nesta sexta-feira, (30).

É preciso declarar todos os animais de outras espécies existentes na propriedade, tais como equídeos (equinos, asininos e muares), suideos (suínos, javalis e javaporco), ovinos, caprinos e aves (granjas de aves domésticas, criatórios de avestruzes).

Nova estratégia

Este ano, o Estado adotou uma nova estratégia de imunização contra a doença, para uniformizar o sistema com o calendário dos demais estados da Federação, com vistas à retirada da vacinação em 2021. O calendário ficou definido com a primeira etapa sendo realizada no mês de maio com a vacinação de todos os bovídeos independentemente da idade e a segunda etapa sendo realizada no mês de novembro com a vacinação de bovídeos de zero a 24 meses de idade.

O ajuste foi realizado a partir de solicitação da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), considerando o pleito do setor produtivo e consolidado pela publicação da Resolução SAA – 55 em 1º de novembro de 2017.

“O índice estadual da vacinação na primeira etapa da campanha, que foi excepcionalmente prorrogada até 15 de junho em função da paralização dos caminhoneiros, foi de 99,41% do rebanho bovídeo paulista de 10,8 milhões de cabeças. A expectativa é que 100 por cento dos bovídeos com até 24 meses sejam vacinados em novembro”, disse Fernando Gomes Buchala, coordenador da Defesa Agropecuária.

A vacinação é obrigatória. Deixar de vacinar e de comunicar a vacinação sujeita o criador a multas de 5 Ufesps (128,50 reais) por cabeça por deixar de vacinar, e 3 Ufesps (77,10 reais) por cabeça por deixar de comunicar. O valor de cada Ufesp - Unidade Fiscal do Estado de São Paulo é 25,70 reais.

Por Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: