Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo apresenta plano para a produção de hortaliças em Jaboticabal

Postado em: 05/07/2019 ás 10:59 | Por: Paloma Minke

 

O uso da estufa e iscas para o controle biológico evitam perdas para os pequenos produtores

Itápolis que já foi conhecida pela produção de citros, há cinco anos tem ganho destaque com as olerícolas, em especial os pimentões produzidos em estufa pelos pequenos produtores rurais. A guinada se deu com a queda do preço e as doenças (sobretudo o greening e o cancro cítrico) que atacaram os pomares citrícolas. Donos de pequenas áreas, os produtores estavam descapitalizados e sem alternativas quando surgiu a proposta do cultivo de pimentões em ambiente protegido, as estufas. Com a ajuda técnica começaram a ser implantadas as primeiras estufas no sistema de Manejo Integrado de Pragas (MIP), com uso de iscas para controle biológico e menor utilização de produtos químicos. Fruto deste trabalho, a Festa do Pimentão de Itápolis faz parte do calendário oficial do Estado, e este ano irá acontecer no dia 14 de julho, e entre os dias 7 a 14 de julho, acontecerá a “Semana do HF (Hortifrúti) de Itápolis”.

No rastro da olericultura, alguns produtores como Valdecir Fernandes partiram para alternativas como a produção em estufa de tomates envarados e pepinos. O excedente da produção já tem garantido deliciosas receitas de geleia de pimentão e de tomates com pimenta. Isso é o que garantem aqueles que já provaram as guloseimas como a equipe da Regional Jaboticabal da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), a qual a Casa da Agricultura de Itápolis está vinculada. O projeto deu tão certo que 15 municípios da região também aderiram à ideia, “hoje, quase 10 anos depois, contabilizamos mil estufas em 300 propriedades rurais”, conta Silvio Santos.

Foi para conhecer este e outros trabalhos desenvolvidos pela Regional de Jaboticabal que a coordenadora da CDRS, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, Juliana Cardoso, solicitou a programação de visitas. “Uma oportunidade de conversar com os técnicos, com os produtores, ver de perto o trabalho e ouvir as demandas para melhor atender o produtor”, afirma a dirigente.

Durante a visita a coordenadora ouviu que todos tinham o mesmo problema: pouca terra, mão de obra familiar, reduzida capacidade de investimento e decidiram pela maior rentabilidade em pequenas áreas, caso resolvido com a implantação do sistema de cultivo protegido, a melhoria na logística e comercialização. Agora, estes e outros 25 produtores são associados da Associação de Produtores de Hortaliças de Itápolis (APHI) e cooperados da Cooperativa de Produtores de Hortaliças e Frutas de Itápolis (Cooperhorta). “A organização rural e o apoio da Prefeitura de Itápolis também foi outro dos fatores fundamentais para o nosso crescimento”, contou Valdecir que é vice-presidente da Cooperativa. Além do pimentão e do tomate, muitos também estão investindo em pequenos pomares de frutas. “A diversificação e o apoio e assistência tanto da Regional como da Casa da Agricultura foram fundamentais para garantir nossa sobrevivência na atividade rural”, comentou o produtor.

Em Cândido Rodrigues, município também da área de atuação da Regional Jaboticabal, onde a visita foi encerrada, Juliana Cardoso apresentou uma palestra para cerca de 50 convidados, entre produtores, técnicos e dirigentes de Regionais, onde esta e outras propostas estão sendo estudadas e outras que já estão em andamento foram apresentadas.

O evento marcou uma nova fase de apresentação das propostas para a CDRS, que tem pela frente uma nova missão, mais ampliada, que visa promover a oferta sustentável de alimentos saudáveis e seguros, por meio de pesquisas, inovação, empreendedorismo e parcerias para fazer de São Paulo um dos principais e mais competitivos ecossistema Agro. “Tenho conversado com todos que fazem parte do ecossistema do Agro, nossos servidores, produtores, setor privado, academia e parceiros. O intuito é que estejamos todos engajados e preparados para atuar de acordo com as novas diretrizes do governo estadual. E a ideia principal é trabalhar em parceria tanto com os governos municipais, quanto com as empresas privadas. Nosso grande desafio será alinhar todas as ações da Secretaria e propor um planejamento estratégico com metas de médio e longo prazos, frisou Juliana.

A próxima visita da coordenadora da CDRS será à região de Dracena, no dia 11 de julho. E para dia 28 de julho, Dia do Agricultor, uma nova proposta de convênio entre prefeituras e Estado será lançada.

Por: Graça D'Áuria 

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: